FUNDAÇÃO/SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE RIO CLARO

 

FUNDAÇÃO/SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO CLARO

______________________

Início
Missão
Equipe
SAE
CTA
PEP - Fluxos

 

Programa Municipal de DST/AIDS e Hepatites Virais

SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA ESPECIALIZADA -  SAE

            

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

—Garantir assistência com integralidade às pessoas vivendo com HIV/AIDS/HEPATITES VIRAIS (B e C);
—Orientar e dar continência a família das pessoas vivendo e convivendo com HIV/AIDS/HEPATITES VIRAIS;
—Assegurar a integralidade da rede de assistência no foco das DSTs, HIV/AIDS e Hepatites  B e C;
—Articular junto aos diversos segmentos o cumprimento dos protocolos/projetos recomendados pelo Ministério da Saúde: Violência Sexual, Transmissão Vertical, Criança Exposta verticalmente ao vírus do HIV;
—Assessorar e fortalecer grupos de pessoas vivendo com HIV/AIDS/Hepatites B e C enfatizando a adesão ao tratamento e melhoria na qualidade de vida;
—Firmar-se como referência para tratamento das DSTs recorrentes que demandam assistência de média complexidade;
—Acompanhar casos de acidentes com Materiais Biológicos com uso de quimioprofilaxia (HIV/Aids).

O SAE deve Articular com os demais setores garantindo o cumprimento dos protocolos normativos do Ministério da Saúde que tem como foco DST/HIV/AIDS/Hepatites virais:

Protocolo de Acidentes com materiais biológicos;

Protocolo de Transmissão Vertical;

Protocolo de Criança exposta verticalmente ao vírus do HIV;

Protocolo de Violência Sexual;

Protocolo de Adesão ao Tratamento;

Protocolo de Atendimento às DSTs;

Protocolo de Hepatites Virais

OPERACIONALIZAÇÃO

O Serviço de Assistência Especializada possui configuração institucional diferenciada, sendo um ambulatório de especialidades  ( atenção secundária – média complexidade),  sendo referência para o município de Rio Claro e micro região – Analândia, Ipeúna, Itirapina, Corumbataí, Santa Gertrudes (GVE XX – Piracicaba), para as doenças sexualmente transmissíveis  em recidiva, HIV, AIDS, Hepatites B e C. 

Tem por finalidade prestar atendimento integral aos usuários, por meio de uma equipe interdisciplinar, cujas principais atividades são:

• acolhimento;
•Aconselhamento;
•cuidados de enfermagem;
• imunização;
• orientação e apoio psicológico;
•atendimento medico : clínico,  infectologista, ginecologista, pediatra;
•atendimento odontológico,
•atendimento com serviço social;
•Atendimento farmacêutico , controle e disponibilização de antiretrovirais (AIDS, DST, Hepatite B e C);
• realização de exames para monitoramento do  tratamento ( de rotina e específicos  PCR, Genotipagem, CD4, Carga Viral);
•procedimentos de preenchimento facial (garantido através do incentivo);
• distribuição de formula láctea (crianças expostas ao vírus HIV);
•distribuição de complemento alimentar (ensure nos casos que haja necessidade, prescrição médica);
• distribuição de insumos de prevenção;
•atividades educativas para adesão ao tratamento e para prevenção e controle das DST/HIV/AIDS/Hepatites virais;
• promover articulação em rede garantindo assistência integral na rede de saúde aos usuários;
• notificar os casos atendidos;

FLUXO DE AGENDAMENTO

•Encaminhamento através  da ficha de referência / contra referência, implantada pela Fundação Municipal de Saúde através da Central de Regulação, devidamente preenchida

 ( Todos os dados, assinatura e carimbo do médico);

•O paciente deve ter em mãos os resultados dos exames (cópia ou origina)l;
•Agendamento por telefone:  35333350, 35338074;
•O paciente passará inicialmente por consulta de enfermagem, acolhimento (técnicos) e posteriormente por consulta com o médico.

OS ENCAMINHAMENTOS:

•Casos de Hepatites Virais B e C com diagnóstico fechado;
•Casos com diagnóstico reagente para o HIV;
•Gestantes soro reagente para o HIV;
•Pacientes com diagnóstico de DSTs  recidivantes e resistentes ( tratados na Atenção Básica);
•Acidentados com materiais biológicos em uso de medicação antirretroviral;
•Pessoas  com exposição sexual de risco, em uso de medicação;
•Pessoas vítimas de violência sexual em uso de medicação;
•Pacientes com diagnóstico para sífilis na proporção 1/8, que já realizaram tratamento e encontram-se resistentes;
•Pacientes com NIC II com resultado de PapaNicolau;
•Crianças com diagnóstico de Toxoplasmose e sífilis congênita ;

 

 

 

Fale conosco

dst@saude.rc.sp.gov.br
Palestras
Redução de Danos
PAM
CTA-Itinerante
p